Está com dívidas? 4 alternativas para sair do vermelho

Confira algumas dicas para recuperar a autonomia financeira

As finanças são uma área sensível da vida de qualquer pessoa. Cuidar do próprio dinheiro envolve questões como o trabalho e as condições em que ele é feito, as prioridades a curto, médio e longo prazo e o estilo de vida de cada um.

Mesmo quem tem disciplina financeira e não costuma gastar mais do que ganha pode viver situações em que o orçamento fica mais apertado, deixando o saldo no vermelho. Exemplos de acontecimentos que podem levar a isso são problemas de saúde, solicitação de financiamento para veículo ou automóvel ou reforma da casa.

Se você precisa de dicas para sair do vermelho, conheça algumas boas práticas para recuperar a autonomia financeira. As soluções vão desde repensar gastos recorrentes até refinanciar carro ou dívidas altas.

Levantamento e cortes

O primeiro passo para quem deseja sair do vermelho é realizar um levantamento de todos os gastos da sua casa, verificando quais são as áreas em que você está devendo. Nessa primeira etapa, você deve elencar todas as suas dívidas, há quanto tempo você deve e para quem.

Levantadas essas informações, o próximo passo é analisar seu orçamento e traçar um plano para quitar as dívidas. Para isso, é preciso listar todas as suas fontes de renda (desde salário até benefícios, aluguéis recebidos e quaisquer outros). 

Em seguida, coloque no papel todas as suas despesas fixas (como contas de água, luz e internet) e todas as variáveis (gastos em restaurantes, roupas, cuidados pessoais etc). Por fim, corte os gastos não-essenciais. Esse é o primeiro passo para reduzir gastos e conseguir destinar mais dinheiro para quitar as dívidas.

Dívidas mais altas e refinanciamento

Uma recomendação importante é priorizar as dívidas mais altas, como aquelas do cheque especial e as rotativas do cartão de crédito. Essas modalidades de pagamento cobram alguns dos juros mais altos do mercado, por isso, devem ser prioridade na hora de renegociar com os credores. 

Outra alternativa para te ajudar a sair do vermelho é buscar refinanciar dívidas. Essa dica é especialmente válida quando você obteve financiamentos para pagar imóveis ou veículos.

O refinanciamento é conhecido como “empréstimo com garantia”, já que o item envolvido é dado como precaução caso o solicitante não quite a dívida.  A principal vantagem do modelo é obter taxas mais baixas e prazos mais longos para concluir o pagamento dos débitos.

Evitar parcelamentos

Outra dica importante é, quando possível, evitar parcelamentos. Dividir o valor total de uma compra em várias mensalidades passa uma ideia falsa de que a compra cabe no seu orçamento, o que não é necessariamente verdade.

Embora facilite a compra inicialmente, os parcelamentos podem se acumular, dificultando a quitação. Ainda, muitas compras parceladas envolvem taxas de juros, o que acaba tendo forte impacto no orçamento domiciliar. Por isso, sempre que possível, junte dinheiro para comprar um bem ou contratar um serviço à vista.

Repensar os gastos

O processo de quitar dívidas é um bom convite (e lembrete) para ter disciplina financeira. Para alcançá-la, é preciso rever a sua relação com o dinheiro e entender quais são as suas prioridades na hora de gastá-lo.

É importante se atentar a gastos desnecessários, especialmente aqueles que podem ser adiados ou que acabam consumindo dinheiro sem retorno, como a academia que você nunca vai ou as revistas que você nunca lê. Por fim, é preciso cuidado redobrado com compras feitas por impulso, pois acabam com o orçamento planejado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *