Curiosidades sobre Santos, uma das cidades mais importantes do Brasil

Conhecida por sua área litorânea que lota nos fins de semana, a cidade reúne boas histórias e curiosidades únicas. Confira algumas a seguir

A cidade de Santos se destacou no estado no início do século XX por sediar a região portuária mais movimentada do país. Inaugurado em 1892, o porto permitiu o desenvolvimento de toda a logística de exportação de café — a principal da época, e de importação de diferentes produtos.

Situada apenas a 70 km de São Paulo, Santos é um local bem conhecido pelos moradores da capital, que costumam ir para a cidade para curtir uma praia no fim de semana. Fundada em 1546, Santos se localiza parcialmente na ilha de São Vicente.

Embora seja bem popular, Santos traz algumas curiosidades que poucos conhecem (mesmo os que moram lá). Confira algumas delas a seguir antes de comprar a sua passagem na viação útil.

55% do PIB nacional

Se a importância econômica de Santos foi inegável há um século,  impressiona até os dias de hoje. O porto da cidade continua sendo o maior porto do hemisfério sul mundial, tanto em infraestrutura como em fluxo de descargas.

Além de São Paulo, os estados mais atendidos por esse porto são Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de outros países do Mercosul.

Estimativas apontam que as atividades desse porto concentram 55% do PIB do Brasil e 49% da produção nacional de diferentes produtos e commodities.

Apesar das modernizações vistas no porto nas últimas duas décadas, ele ainda enfrenta alguns entraves como a longa permanência de cargas (entre 12 e 17 dias acima da média mundial). O medo de ataques piratas é a razão por que o porto se localiza no interior da baía de Santos.

Berço do surfe

Santos possui escolas de surfe e o primeiro museu de surfe do país. A história da cidade com essa prática esportiva remonta a 1934, quando ele começou a ser praticado no país, justamente nessa cidade.

Foi nesse ano que alguém surfou pela primeira vez em águas brasileiras: o jovem Thomas Ernest Rittscher, de 17 anos, oriundo dos Estados Unidos.

O primeiro brasileiro a repetir o feito foi Osmar Gonçalves, em 1938, que construiu a primeira prancha brasileira a partir de uma parceria feita com o engenheiro naval Júlio Putz. Osmar estreou na Praia do Gonzaga, uma das mais famosas da cidade.

Monte Serrat

Nossa Senhora de Monte Serrat é a padroeira da cidade, a quem são atribuídos inúmeros milagres. A igreja da santa é uma construção cujas origens remetem ao fim do século XVI (1599) e pode ser encontrada nas proximidades do ginásio poliesportivo Arena Santos.

Histórias interessantes estão por trás da ascensão da santa ao papel de padroeira da cidade. Uma delas conta que Monte Serrat teria livrado a vila de Santos de um ataque de piratas holandeses, em 1615 e também impediu o naufrágio do barco nacional Araguary, em 1926.

Na igreja da santa, existe a Sala dos Milagres, onde os fiéis podem depositar objetos para agradecer as bênçãos recebidas. As festas para a santa ocorrem no dia 8 de setembro.

Origem do tamboréu

Ao visitar as praias de Santos, será fácil encontrar pessoas organizadas em duplas e cada uma delas segurando um aro de madeira de até 26 cm de diâmetro coberto por um tampo também feito de madeira. O jogo chegou à cidade em 1937 com os irmãos italianos Luigi e Bruno Donadelli, também na praia do Gonzaga.

Parecido com o tênis, o nome desse jogo é tamboréu, originário em Santos. Nele, cada jogador deve arremessar a bola no campo adversário por cima de uma rede. Embora seja um esporte tipicamente praticado em praias, o tamboréu também pode ser jogado em quadras de saibro.

Com o passar dos anos, novas regras foram sendo aplicadas, diferente daquelas aplicadas na Espanha e na França, países onde o tamboréu também é jogado. Contudo, somente o Brasil sedia campeonatos oficiais desse esporte, o que o torna até mais genuíno do que o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *