Por que há tantas pessoas solteiras na China?

Na China, a solteirice se tornou um problema social e uma solução para aumentar as vendas e as promoções do varejo.

Você sabia que na China há tantas pessoas solteiras que foi criado o Dia dos Solteiros para celebrar? O festival do Dia dos Solteiros foi uma iniciativa da gigante Alibaba em 2009 e, desde então, se tornou uma data importante para o varejo, inclusive no Ocidente.

Mas você sabe o porquê de a China ter tantos solteiros? Continue lendo para entender um pouco mais da situação social na qual a China se encontra.

Desequilíbrio social

Antes de falarmos sobre o problema dos solteiros na China, precisamos recapitular um pouco da história do país. Em 1970, a China adotou uma política para conter a alta taxa de natalidade que ficou conhecida como “política do filho único”. 

Com essa política, ficava proibido ao casal ter mais de um filho, sendo passível de multas em caso de mais filhos. Quando implantada, essa política buscava facilitar o acesso de toda a população a um sistema de saúde e de educação de qualidade, coisa que, segundo o governo, não seria possível caso a população continuasse a crescer no ritmo extremamente acelerado que se encontrava nas décadas de 1960 e 70.

Porém, a política acabou tendo como uma de suas consequências mais graves um desequilíbrio social muito grave. Como na cultura chinesa os bens são passados para os herdeiros do sexo masculino, assim como a responsabilidade de cuidar dos pais na velhice, o nascimento de meninas foi muito prejudicado com essa política.

Muitos abortos e abandonos de meninas recém-nascidas começaram a ocorrer, para que, assim, o casal pudesse tentar ter um filho homem sem desrespeitar a lei.

A política do filho único foi abolida em 2015 por causa da baixa demografia de mulheres no país e por conta do rápido envelhecimento populacional.

A geração atual de “pequenos imperadores”, como são chamados os filhos únicos do sexo masculino, é uma das que mais sofre com o desequilíbrio social provocado pela política do filho único. Atualmente, há cerca de 114 homens para cada 100 mulheres na China.

Porquês da solteirice

Os motivos que levam os chineses a serem solteiros variam de acordo com o gênero. 

As mulheres nascidas de 1970 para cá tiveram muito mais acesso à educação e às políticas feministas do que as de gerações anteriores, o que faz com que elas sejam mais seletivas na hora de escolher um parceiro. Para essas mulheres, a busca por completar seus estudos e pelo sucesso profissional vem antes da procura por começar uma família. 

Já para os homens, a solteirice involuntária recai sobre os mais pobres. Eles buscam se casar entre os 25 e 26 anos e, na cultura chinesa, há um dote a ser pago do marido à família da noiva.

Essa diferença na hora da procura por um parceiro dificulta a  formação de casais e a perpetuação de famílias. Os homens buscam mulheres com um nível educacional mais baixo, por serem, segundo eles, menos exigentes; e as mulheres, cada vez mais educadas e emancipadas, não se contentam mais com homens de escolaridade ou empregabilidade inferiores.

Uma grande jogada de marketing

Com esse aumento progressivo da população solteira, seja aquela que escolhe não se casar, sejam os solteiros involuntários, apostar na criação de uma data comemorativa e, principalmente, comercial, para abarcar esse público foi uma grande jogada de marketing.

Conhecido por acontecer no dia 11 de novembro (11/11), o festival de compras do Dia dos Solteiros veio como um grande concorrente à Black Friday, inclusive, já ultrapassando-a em valores de vendas. O varejo investe em altas promoções e eventos de entretenimento, como shows com celebridades internacionais, para atrair os clientes. 

Além disso, a criação do Dia dos Solteiros fez com que a população começasse a sentir mais orgulho de seu status social, que antes era visto com grande estigma e preconceito, tanto para homens quanto para mulheres.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *